Voltar para Home/ Voltar para Página inicial/ Página Inicial Pular para o conteúdo

Logo: Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG) - Ir para a página inicial Deutsche Forschungsgemeinschaft

Encontro BRAGECRIM mostra maior interação entre pesquisa básica e indústria

Na última terça-feira (29.09) ocorreu o "Virtual Annual Meeting BRAGECRIM - CRI-SCMfg on Smart Connected Manufacturing". O evento realizado pela primeira vez de forma online, foi organizado pelo comitê de coordenação, representado pelo Prof. Michael Freitag do BIBA – Instituto de Bremem para Produção e Logística, da Universidade de Bremen (Alemanha) e pelo Prof. Enzo M. Frazzon, da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. O tradicional encontro, que reúne todos os anos, alternadamente no Brasil e na Alemanha, os cientistas participantes do BRAGECRIM /CRI, teve como principal objetivo discutir o andamento de seus projetos e apresentar os resultados dos projetos em andamento como recentemente concluídos.

Maior interação entre pesquisa básica e indústria

Maior interação entre pesquisa básica e indústria

© Foto Divulgação Freepik

Nos últimos meses aprendemos cada vez mais a nos adaptar à realidade de encontros virtuais. O encontro presencial deste evento foi adiado para 2021 e deu lugar a primeira reunião virtual do programa, a qual contou com a participação de 70 pessoas, a maior parte delas pesquisadores (as) envolvidos (as) nos projetos do BRAGECRIM/CRI.

Na abertura do evento o Prof. Michael Freitag (BIBA) salientou a importância dos encontros anuais para o intercâmbio no âmbito das duas iniciativas, especialmente em tempos da pandemia do Corona, quando as viagens são muito limitadas. Já o Prof. Frazzon (UFSC) mostrou-se satisfeito com a boa participação, especialmente dos representantes da indústria.

O Prof. Tilo Pfeifer da Universidade RWTH de Aachen, antigo coordenador da BRAGECRIM do lado alemão, apresentou aos participantes a trajetória e a história de sucesso da iniciativa.

No âmbito da abertura do evento Dietrich Halm, diretor da DFG para assuntos internacionais na América Latina e Caribe, e o Prof. Benedito Aguiar, presidente da CAPES, fizeram um discurso ressaltando o sucesso do programa nos últimos anos.

Em seu vídeo de abertura, o presidente da CAPES, Prof. Aguiar ressaltou que “A colaboração técnica-cientifica tem possibilitado a realização de importantes missões de trabalho de pesquisadores brasileiros e alemães e também tem sido muito significativa pela sua abrangência ao permitir atividade de mobilidade acadêmica para capacitação, tanto em nível de graduação sanduiche, quanto de mestrado, doutorado e pós-doutorado.

Para o Dr. Halm “o Smart Connected Manufacturing é um dos principais setores do desenvolvimento futuro e da sociedade atual e desempenha um papel central para o desenvolvimento sustentável de muitos países. ”

O evento notabilizou que a pesquisa colaborativa tem se mostrado fundamental para o avanço da ciência no mundo inteiro. Na cooperação entre Brasil e Alemanha isso se apresenta de forma exemplar na parceria entre CAPES e DFG como relata o Prof. Aguiar “Dentre as novas ações de cooperação destaco a grande importância de formação de redes de pesquisas estruturadas, que por meio de projetos de pesquisa colaborativos, que possibilitam ganhos acadêmicos e científicos resultando em maior internacionalização da produção científica brasileira”.

Maior interação entre pesquisa básica e indústria

Além da forma como os jovens cientistas dos diferentes projetos apresentaram os resultados de suas pesquisas, e suas trajetórias no âmbito da cooperação internacional com a Alemanha, o evento também evidenciou como uma ilustre comunidade cresceu ao longo dos anos. Nela, para além de uma pesquisa de excelência, se desenvolveram intercâmbios concretos entre a pesquisa das universidades com parceiros industriais. Um dos principais exemplos dessa integração esteve na apresentação do keynote da indústria, Marcos Coester, CEO do Grupo Coester.

O Grupo faz parte de um dos projetos que inclui três instituições no Brasil e uma na Alemanha. Coester destacou a importância da cooperação com as universidades, sobretudo, a Universidade Federal do Rio Grande do sul (UFRS), com a qual a empresa coopera a mais de 4 anos. Para ele, as tecnologias mais disruptivas do grupo COESTER vem da parceria entre a empresa e o departamento de eletrônica da UFRS.

Nos quatro projetos do CRI, que só começaram recentemente e sob condições difíceis da pandemia do coronavírus, foram apresentados os primeiros resultados e publicações impressionantes, bem como, o estabelecimento de contatos com parceiros da indústria.

O evento mostrou ainda, como nos encontros anteriores anuais BRAGECRIM, a importância deste tipo de pesquisa para promover os temas da Indústria 4.0 em ambos os países. A mensagem clara por de trás de todas as apresentações foi que os novos conhecimentos na área de smart connected manufacturing são primordiais para a fomentar competitividade das indústrias no Brasil e na Alemanha.

Outro momento marcante do evento foi quando dois ex-alunos do BRAGECRIM (um alemão e um brasileiro) compartilharam suas experiências, enfatizando os efeitos positivos da iniciativa na sua carreira pessoal na ciência e na indústria.

What's next?

As agencias consideram importante que os quatro primeiros projetos do CRI tenham a oportunidade de se candidatarem ao financiamento para uma nova fase de continuação de dois anos. A pandemia fez com que uma chamada prevista para 2020 fosse adiada, mas os departamentos internacionais tanto da CAPES quanto da DFG trabalham para que haja um convite à apresentação de propostas o mais cedo possível, de modo a não criar uma lacuna de tempo e financiamento.