Voltar para Home/ Voltar para Página inicial/ Página Inicial Pular para o conteúdo

Logo: Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG) - Ir para a página inicial Deutsche Forschungsgemeinschaft

Congresso em Cuba discute desenvolvimento Sustentável

(06.03.2020) Dos dias 10 a 14 de fevereiro o Congresso Universad 2020 reuniu em Havana muitos participantes para discutir, dentre outros temas, uma agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. O Congresso, em sua 12º edição, foi organizado pelo Ministério de Educação Superior e pelas Universidades Cubanas. No âmbito do evento a DFG, em conjunto com uma delegação de intuições de ciência e pesquisa alemãs, participou de encontros com os Stakeholders da ciência no país.

No stand de informações de instituições alemãs: Prof. Dr. Susanne Hilland (Hochschule Heilbronn), Dr. Kathrin Winkler (DFG Lateinamerika), Dr. Ulrike Dorfmüller (DAAD Cuba), Andreas Trepte (MPG Buenos Aires) e Christine Arndt (DAAD)

No stand de informações de instituições alemãs: Prof. Dr. Susanne Hilland (Hochschule Heilbronn), Dr. Kathrin Winkler (DFG Lateinamerika), Dr. Ulrike Dorfmüller (DAAD Cuba), Andreas Trepte (MPG Buenos Aires) e Christine Arndt (DAAD)

© DFG

Cuba é um parceiro científico tradicionalmente interessante para a Alemanha - a cooperação foi cultivada especialmente durante os tempos da antiga RDA e tem sido mantida durante as últimas três décadas em antigas e novas constelações. Embora não em grande número, nos últimos anos foram realizados projetos bem-sucedidos de pesquisa científica bilateral teuto cubana, muitos deles financiados pela DFG. O intercâmbio acadêmico entre os dois países é um campo muito dinâmico. Em 2018 o número de estudantes cubanos matriculados em universidades alemãs era 180 e, de acordo com a HRK (Conferência dos Reitores Alemães), existem atualmente 78 acordos de cooperação entre a Alemanha e Cuba. A ilha caribenha possui um cenário de ciência e pesquisa muito bem consolidado. Em 1959 existiam apenas três universidades e faculdades no país, em 2019 foram contabilizadas 50 universidades e faculdades, além de 126 filiais universitárias. O país investe cerca de 13% de seu PIB no setor de educação. Universidades e centros de pesquisa estão envolvidos em estratégias governamentais e têm linhas de pesquisa claramente definidas. Os campos de estudo mais populares são a medicina (36,4%), a educação (19,4%) e as ciências técnicas (13,5%).

Além do congresso houve uma conferência bilateral teuto-cubana

Além do congresso houve uma conferência bilateral teuto-cubana

© DFG

Além de cientistas, reitores e representantes de ministérios e organizações cubanas, um grande número de representantes internacionais dos campos da ciência e da política científica, especialmente da América Latina, também estiveram presentes no evento. Educação, formação, pesquisa e ciência até à internacionalização foram discutidas em diversas sessões plenárias e workshops.

A delegação alemã, organizada pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), pela Conferência dos Reitores Alemães (HRK) e pelo Ministério da Ciência e Pesquisa de Cuba (MES), centrou-se nos seguintes temas: a cooperação científica bilateral germano-cubana, o potencial específico das ciências aplicadas na cooperação universitária germano-cubana (inovação, transferência, estudos duplos) e o reforço e internacionalização da formação de professores. O congresso também incluiu diversas sessões de organizações alemãs, tais como uma apresentação e discussão do programa DIES do DAAD e HRK e uma sessão de financiamento de instituições alemãs, na qual, além da DFG, HRK e DAAD, também puderam apresentar e seus programas e linhas de fomento a Centro Universitário da Baviera para América Latina (Baylat), Fundação Alexander von Humboldt e Sociedade Max Planck. Além disso, houve um stand informativo coletivo das instituições alemãs na área de exposição do congresso, durante todo o tempo.

No âmbito da delegação, a Dra. Kathrin Winkler, diretora do escritório da DFG na América Latina, teve a oportunidade de falar com representantes do MES e do Ministério da Saúde, sobre a possibilidade de promover as relações científicas entre Alemanha e Cuba, através de vários instrumentos, apoiando a colaboração com workshops ou editais de pesquisa. "Estou muito impressionada positivamente com o interesse demonstrado pelos cientistas cubanos em cooperar com pesquisadores alemães e, pela postura aberta em todos os níveis. Estou otimista de que a cooperação bilateral será reforçada”, relatou Winkler após cinco dias de congresso.