Voltar para Home/ Voltar para Página inicial/ Página Inicial Pular para o conteúdo

Logo: Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG) - Ir para a página inicial Deutsche Forschungsgemeinschaft

banner: Kopfbereich DFG2020 Logo - englisch Because research matters

Divulgados os resultados finais da Estratégia de Excelência da Alemanha: Comissão de Excelência selecionou dez Universidades e um Consórcio Universitário de Excelência

Comunicado de imprensa conjunto do Conselho Alemão de Ciências e Humanidades (WR) e da Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG), 19 de julho de 2019

(24/7/2019) No dia 19 de julho de 2019, a Comissão de Excelência divulgou os aguardados resultados da linha de fomento “Universidades de Excelência” da Estratégia de Excelência da Alemanha que, com isso, chega a concluir sua primeira rodada. Das 19 iniciativas concorrentes, dez universidades e um consórcio universitário foram selecionados para receber fomento institucional permanente. As escolhidas foram (em ordem alfabética):

  • Universidade RWTH Aachen
  • Aliança Universitária de Berlim
  • Universidade de Bonn
  • Universidade Técnica de Dresden
  • Universidade de Hamburgo
  • Universidade de Heidelberg
  • Karlsruhe Institute of Technology (KIT)
  • Universidade de Konstanz
  • Universidade Ludwig-Maximilians de Munique
  • Universidade Técnica de Munique
  • Universidade de Tübingen

Uma lista das universidades selecionadas também pode ser encontrada aqui:

As decisões da Comissão de Excelência foram anunciadas imediatamente após a reunião deliberativa no Wissenschaftszentrum Bonn durante uma coletiva de imprensa, transmitida ao vivo pela internet. O anuncio foi feito pela ministra alemã de Educação e Pesquisa, Anja Karliczek, e a Profa. Dra. Eva Quante-Brandt, senadora para Assuntos de Ciência, Saúde e Defesa do Consumidor da Cidade Hanseática Livre de Bremen, que são presidente e presidente-interina da Conferência Conjunta da Ciência (GWK) do governo federal e dos 16 governos estaduais. As universidades e consórcio universitário que foram selecionados receberão um financiamento anual total de 148 milhões de euros (a começar em 1° de novembro de 2019). A Profa. Dra. Martina Brockmeier, presidente do Conselho Alemão de Ciencias e Humanidades (WR), e o Prof. Dr. Peter Strohschneider, presidente da Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG) explicaram na coletiva o processo decisório e apresentaram um balanço preliminar da Estratégia de Excelência.

“Eu gostaria de parabenizar e manifestar meu enorme respeito às universidades e à aliança universitária berlinense selecionadas! Elas evidenciaram de forma muito impressionante como as universidades do futuro podem ser estruturadas de forma excelente. Para poder competir internacionalmente, uma universidade precisa ter tanto uma base cientifica sólida bem como uma ideia clara de seu perfil institucional e planos concretos para o seu desenvolvimento. As universidades selecionadas comprovaram de modo convincente que elas já se estabeleceram em todos esses aspectos”, comentou a Profa. Dra. Martina Brockmeier.

O presidente da DFG, Prof. Dr. Peter Strohschneider, sintetizou: “As decisões de hoje com respeito às Universidades de Excelência foram baseadas nas decisões de fomento dos 57 Clusters de Excelências. Estes foram selecionados em setembro do ano passado e têm sido fomentados desde 1° de janeiro. Com o fim desta primeira rodada competitiva, a Estratégia de Excelência se une às três rodadas de fomento da Iniciativa de Excelência (2006, 2007 e 2012). Ambas competições conjuntas refletem a impressionante cooperação entre ciência e política na promoção de pesquisa de ponta nas universidades alemãs em nível internacional”.

Os pré-requisitos

Puderam se candidatar para um título de excelência universidades que, em setembro de 2018, garantiram ao menos dois Clusters de Excelência (ou ao menos três, no caso de consórcios universitários) na linha de fomento administrada pela DFG. 17 universidades e dois consórcios universitários provenientes de oito estados federativos (Länder) preencheram tais critérios.

Posteriormente, a DFG passou o bastão ao WR, que é responsável pela administração da linha de fomento “Universidades de Excelência”. Entre janeiro e maio de 2019, foram organizadas visitas às 19 universidades e consórcios, das quais participaram um total de 190 avaliadores (mais de 90% do exterior). No processo de avaliação as universidades foram aferidas como um todo, particularmente a performance passada e presente em pesquisa e ensino, transferência de conhecimento e infraestrutura de pesquisa. Adicionalmente, as universidades tiveram que apresentar planos convincentes para o desenvolvimento contínuo de toda a instituição.

O processo seletivo

O Comitê de Experts, composto por 39 membros, se reuniu entre os dias 16 e 18 de julho de 2019 para comparar os resultados das 19 avaliações individuais. Baseadas nas recomendações feitas pelo Comitê de Experts, as decisões finais de fomento foram tomadas pela Comissão de Excelência no dia 19 de julho. Essa comissão é formada por membros do Comitê de Experts e por ministras e ministros de ciência dos governos estaduais e federal. Para uma decisão de fomento era necessário atingir a maioria dos votos dos membros científicos da comissão, bem como ao menos 25 votos dos governos estaduais e federal.

O futuro da Estratégia de Excelência

Em princípio, o fomento é permanente. Entretanto, o acordo administrativo estabelece duas exigências. A primeira diz que as universidades escolhidas devem uma vez mais garantir que o número mínimo de Clusters de Excelência seja mantido na próxima chamada (daqui a sete anos) de modo a cumprir com os requisitos formais. A segunda diz que as universidades serão reavaliadas a cada sete anos e, mediante resultado positivo, continuarão recebendo fomento. Caso sejam bem-sucedidas na próxima rodada do programa, quatro novas universidades poderão também receber fomento a partir de 2026. Na linha de fomento “Clusters de Excelência”, desde 1° de janeiro deste ano 57 Clusters de Excelência em 34 universidades já estão sendo financiados.

A Estratégia de Excelência da Federação e dos Estados foi criada com base no artigo 91b, parágrafo 1 da constituição alemã (Grundgesetz) em um acordo administrativo. O objetivo é ampliar e aprimorar continuamente os esforços para o fortalecimento das universidades por meio do fomento de excelência, o estabelecimento de um perfil e a cooperação científica, já iniciados pela Iniciativa de Excelência. Os governos federal e estaduais estão disponibilizando para o projeto permanente um orçamento anual de 533 milhões de euros, sendo 75% advindos da União e 25% dos Estados respectivos.

Mais informações

Informações detalhadas sobre a Estratégia de Excelência da Alemanha também pode ser encontrada aqui:

Contatos técnicos

Contatos de imprensa