Voltar para Home/ Voltar para Página inicial/ Página Inicial Pular para o conteúdo

Logo: Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG) - Ir para a página inicial Deutsche Forschungsgemeinschaft

Após exibição na Alemanha, exposição sobre descobertas arqueológicas na Serra da Capivara chega ao Brasil

Pesquisadores sobre ponte suspensa tiram fotos de rocha na Serra da Capivara.

Uma das fotografias que integram a exposição sobre a Serra da Capivara.

© André Pessoa

(11/07/2018) Durante a 70ª Reunião Anual da SBPC, que será realizada em julho em Maceió (AL), a Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG) exibirá a exposição fotográfica Link auf PDF-Datei“Serra da Capivara: os mais antigos vestígios da povoação na América?”, no estande do Centro Alemão de Ciência e Inovação São Paulo (DWIH São Paulo).

O Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, é conhecido por seus sítios arqueológicos singulares com impressionantes pinturas rupestres, que integram o Patrimônio Mundial Cultural da UNESCO. A região tem recebido destaque na imprensa devido aos recentes apelos de pesquisadores por mais recursos públicos para sua preservação.

Estudos recentes apontam que esses vestígios milenares podem ser os mais antigos indícios da habitação humana na América. “A Serra da Capivara é um lugar especial. Apesar de estar localizada numa das áreas mais subdesenvolvidas do Nordeste, abriga um dos trechos mais conservados do Brasil, com fauna e flora ainda selvagens. Como só se preserva aquilo que se conhece, através da fotografia, podemos levar a imagem desse imenso patrimônio para que nossa população o conheça e passe a valorizá-la”, afirma o fotógrafo autor da exposição André Pessoa.

A mostra revela o trabalho arqueológico realizado ali e as fascinantes flora, fauna, cultura e tradições locais, retratadas pelo olhar cuidadoso de Pessoa. O fotógrafo participará da sessão de abertura no dia 24 de julho ao lado de Demétrio Mutzenberg, arqueólogo e pesquisador da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM). O documentário “Os primeiros americanos: uma incrível descoberta no Brasil”, da série Terra X, produzida pela emissora alemã ZDF e premiado com o troféu 2018 do projeto VerCiência, também integra a exposição e apresenta as últimas descobertas arqueológicas no local.

Entre os projetos de pesquisa retratados está “O começo da produção alimentícia no semiárido do Nordeste brasileiro – o caso da Serra da Capivara”, fomentado pela DFG e conduzido por cientistas do Instituto Arqueológico Alemão (DAI). O trabalho investiga o surgimento da agricultura na América do Sul, apontando como o desenvolvimento do sedentarismo e da agricultura possibilitou a formação de sociedades complexas. “Com a ajuda dessas pesquisas deve-se de fato revelar que a povoação da América ocorreu nitidamente antes do que até hoje se considerava – isto é de um valor inestimável”, declarou a secretária-geral da DFG, Dorothee Dzwonnek.

De acordo com a doutrina que prevalecia até então, as únicas provas confiáveis da primeira povoação humana no continente seriam da chamada Cultura Clóvis, primeiro povo que teria habitado América, segundo objetos encontrados na cidade de Clóvis, no Novo México, Estados Unidos. Foram descobertos na região artefatos característicos pré-históricos, pontas de lanças cuidadosamente esculpidas em pedra, datados com cerca de 13 mil anos de idade.

“Para os pesquisadores norte-americanos é quase inconcebível o fato de que encontramos artefatos na Serra da Capivara que nitidamente podem ser datados como mais antigos”, declarou o professor Dr. Eric Boëda, de Paris, que há anos realiza pesquisa no local. Seu colega Dr. Eduardo Góes Neves completou: “Este debate científico, sobre se há na América vestígios mais antigos que os de Clóvis, tem também uma dimensão política, que revela que a arqueologia não lida apenas com o passado, mas também influencia o presente”. “A cooperação Alemanha-Brasil permite a abertura de novos caminhos de pesquisa, dá novo fôlego aos pesquisadores, traz novas tecnologias para os laboratórios e, com isso, quem sabe, novas descobertas surgirão”, ressalta Pessoa.

A Interner Linkmostra já passou pelas cidades alemãs de Berlim e Bonn, onde foi bem recebida e vista por milhares de pessoas. “A exposição é apenas um exemplo do que os dois países conseguiram atingir com suas cooperações científicas”, declarou o embaixador brasileiro em Berlim, Mario Vilalva. As exuberantes imagens revelam a relevância da Serra da Capivara para a arqueologia, a biodiversidade e a cultura. Não se limitando às fronteiras do Parque Nacional, a importância de seu patrimônio vai além: pode ajudar a humanidade a escrever sua (pré-)história.

  • Exposição “Serra da Capivara: os mais antigos vestígios da povoação na América?”

Quando? 23 a 27 de julho, das 9h às 18h
Onde? ExpoT&C da 70ª Reunião Anual da SBPC - Estande do Centro Alemão de Ciência e Inovação São Paulo (DWIH São Paulo)
Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
Av. Lourival Melo Mota, s/n, Tabuleiro do Martins; CEP: 57072-900. Maceió – AL

  • Sessão de abertura

Quando? Terça-feira, 24/07, 11h30 às 13h
Onde? Auditório do MCTIC na ExpoT&C

Programação
- Saudação de abertura: Prof. Ildeu de Castro (SBPC) e Dra. Kathrin Winkler
- Exibição de trecho do documentário “Os primeiros americanos: uma incrível descoberta no Brasil”
- Mesa redonda com o fotojornalista André Pessoa e Dr. Demétrio da Silva Mutzenberg, arqueólogo e pesquisador da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM). Mediação de Uwe Weibrecht, Presidente da Associação ProBrasil e idealizador da exposição.

Mais informações: http://bit.ly/serracapivara
Link auf PDF-DateiFlyer da exposição