Voltar para Home/ Voltar para Página inicial/ Página Inicial Pular para o conteúdo

Logo: Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG) - Ir para a página inicial Deutsche Forschungsgemeinschaft

Presidente da DFG visita a Argentina

Intensificação das atividades de fomento conjunto entre CONICET, MINCYT e a DFG

(13/11/17) Interessantes projetos de pesquisa, cooperações de longo prazo e um excelente vínculo institucional: pode-se concluir que a relação científica entre Argentina e Alemanha é altamente sustentável e frutífera. Durante visita de uma semana ao país latino-americano, o presidente da DFG, Prof. Dr. Peter Strohschneider, acompanhado de sua delegação, pôde conhecer em detalhes os pontos fortes da ciência argentina e do atual cenário da cooperação de cooperação com a Alemanha. A viagem, que aconteceu na segunda semana de novembro, teve como destinos Buenos Aires, La Plata, Córdoba e Salta, onde Strohschneider dialogou com diversos cientistas e com os principais representantes da política científica argentina.

Reunião na agência de fomento CONICET

Reunião na agência de fomento CONICET

© DFG

“Há alguns anos constatamos uma intensificação dos projetos financiados conjuntamente com os nossos parceiros argentinos CONICET (Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas) e MINCYT (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva). Estou mais que convencido de que no futuro aprofundaremos o excelente empenho comum de nossos pesquisadores e instituições de pesquisa. Temos motivos suficientes para estarmos otimistas, uma vez que já desfrutamos de uma parceria excelente em diversas áreas e programas de pesquisa”, comentou Strohschneider.

Logo no primeiro dia de viagem, o presidente do CONICET, Prof. Dr. Alejandro Ceccatto, e Strohschneider se encontraram. Juntamente com outros representantes do CONICET e do MINCYT, sob atmosfera franca, foram discutidas as iniciativas comuns atuais e futuras. Particularmente, foi falado sobre o planejamento do lançamento de uma nova chamada de propostas para projetos bilaterais no próximo ano. Ideias sobre como promover melhor os programas coordenados com fomento bilateral também foram abordadas na conversa. Desde o ano 2015, a DFG e o CONICET financiam conjuntamente um Grupo Interdisciplinar de Doutorandos na área de geociências.

„Internacionalização e atuação na comunidade científica mundial são cada vez mais relevantes para uma carreira científica, inclusive nas etapas iniciais da carreira, como por exemplo durante o doutorado. A mobilidade é particularmente interessante no doutoramento, pois contribui não somente para a carreira do pesquisador, como também para a internacionalização por meio do intercâmbio de conhecimento e de métodos dos diferentes sistemas de pesquisa”, avaliou Strohschneider em sua visita.

Pelo motivo mencionado acima, o Grupo Interdisciplinar de Doutorandos é, sob o ponto de vista da DFG, um instrumento de fomento especialmente adequado e sustentável no âmbito internacional, devido ao seu caráter único que promove atividades de pesquisa e um programa de formação num contexto de intercâmbio internacional de doutorandos.

Paralelamente aos tópicos práticos da agenda, foram também abordados temas referentes à politica científica. Considerando a grande diferença entre os sistemas científicos dos dois países, discutiu-se o fomento de projetos de pesquisa interdisciplinares com aplicação prática e sua distinção em relação àqueles disciplinares e movidos pela curiosidade. Segundo Strohschneider, no caso de uma agência como o CONICET, que comparada à DFG tem uma abrangência muito maior de atividades de fomento, um sistema de avaliação e classificação intrinsicamente pluralista é crucial para o financiamento dos dois tipos de pesquisa e projetos.

Foto do grupo no mirante Las Tres Cruces, em Cafayate
Visualizar galeria de fotos

Foto do grupo no mirante Las Tres Cruces, em Cafayate

© DFG

O Grupo Interdisciplinar de Doutorandos „Surface Processes, Tectonics and Georesources: The Andean Foreland Basin of Argentina (StRATEGy)“, cofinanciado pelo CONICET e pela DFG, é desde 2015 o primeiro de seu tipo na cooperação com a Argentina e foi diversas vezes o tema central de reuniões. O apoio ao programa denota não somente a longa relação de confiança entre cientistas argentinos e alemães da área de geociências, mas também a excelente cooperação institucional entre a DFG e o CONICET.

“Boa parte do crédito para o sucesso deste projeto é devido também à nossa organização parceira CONICET, que está muito aberta à ideia de programas de doutorado conjuntos. O CONICET até criou uma nova ferramenta de financiamento, os Grupos de Pesquisa Internacional, que é muito compatível com o nosso próprio programa. Sou muito grato pela atmosfera de confiança e receptividade entre nossas duas organizações”, reconheceu Strohschneider.

A delegação da DFG foi acompanhada pelo coordenador alemão do StRATEGy, Prof. Dr. Manfred Strecker, da Universidade de Potsdam, a uma viagem de campo na região de Salta, onde foram visitadas formações geológicas.

No dia 10 de novembro, aconteceu em Buenos Aires um evento informativo sobre os Grupos Interdisciplinares de Doutorandos, no qual foram apresentadas as modalidades de fomento da DFG e do CONICET (Grupos de Pesquisa Internacional) para o apoio para projetos desse tipo. Durante o evento, o Prof. Dr. Manfred Strecker e a coordenadora argentina, Profa. Dra. Monica López de Luchi (Universidade de Buenos Aires), expuseram os resultados científicos e estruturais do StRATEGy. Quatro doutorandas e doutorandos participantes da iniciativa também apresentaram seus projetos de pesquisa nas áreas de geologia e climatologia (mais informações no link para o Externer Linkcanal do YouTube Earth in Progress).

O workshop contou com a participação de cientistas de diferentes disciplinas e proveninentes de distintas universidades e instituições de pesquisa da Argentina que já cooperam com parceiros alemães e têm interesse e potencial para o desenvolvimento de um projeto internacional nesse formato. Com o evento, o CONICET e o DFG estabeleceram um primeiro marco para a divulgação direcionada de informações sobre os programas de financiamento Grupos Interdisciplinares de Doutorandos/ Grupos de Pesquisa Internacional. “Do ponto de vista sociológico, os Grupos Interdisciplinares de Doutorandos são os mais sustentáveis dos nossos programas de cooperação, uma vez que os estudantes de doutorado formados por meio dele continuam a cooperação entre dois países. A cooperação internacional, intercultural e inter-lingual é complexa e só pode existir sob a conjuntura de confiança mútua”, comentou Strohschneider no encerramento do evento.

Panorama das atividades científicas em Buenos Aires, Córdoba e La Plata

Prof. Dr. Pedro Depetris profere as palavras de boas-vindas à audiência durante o evento informativo do CONICET na Universidade Nacional de Córdoba
Visualizar galeria de fotos

Prof. Dr. Pedro Depetris profere as palavras de boas-vindas à audiência durante o evento informativo do CONICET na Universidade Nacional de Córdoba

© DFG

O StRATEGy é um excelente exemplo da crescente relação cientifica entre os dois países e organizações, mas não o único: Durante a visita de distintas localidades universitárias da Argentina, ficou evidente o grande potencial para novos projetos de cooperação.

A delegação ficou impressionada com o grande interesse da comunidade científica de Córdoba durante uma conferência plenária que informousobre cooperação em pesquisa. Realizada no auditório do CONICET Córdoba,foram discutidos exemplos concretos de projetos de pesquisa alemães-argentinos. Após as palavras de boas-vindas do Prof. Dr. Pedro José Depetris, ex-diretor da unidade do CONICET em Córdoba, a diretora do Escritório da DFG para América Latina, Dra. Kathrin Winkler, apresentou as oportunidades de financiamento conjunto da DFG e do CONICET. O grande público doevento e a qualidade da discussão realizada sinalizaram o grande interesse em cooperarcom a Alemanha e motivaram ambas as organizações a expandir suas oportunidades de financiamento conjunto.

Tal interesse também ficou claro durante visitas a outros institutos. O Instituto CONICET de Pesquisa em Biomedicina de Buenos Aires (IBioBA) – Instituto Parceiro da Sociedade Max-Planck é considerado um exemplo de boas práticas da cooperação: desde 2011, conduz pesquisas interdisciplinares de alto nível no campo da biologia molecular e celular nas instalações do Polo Científico. Durante visita às instalações do instituto, o seu diretor, Dr. Eduardo Arzt, e pesquisadores apresentaram à delegação uma visão mais profunda das atividades de pesquisa. A integração de cientistas visitantes e grupos de trabalho da Alemanha tem sido muito positiva, fazendo com que o instituto ofereça uma grande contribuição para a internacionalização.

Durante a visita do Instituto Parceiro da MPG IBioBA, em Buenos Aires
Visualizar galeria de fotos

Visita do Instituto Parceiro da MPG IBioBA, em Buenos Aires

© DFG

Não muito longe de Buenos Aires se encontra a cidade de La Plata, onde está situada a segunda maior universidade do país, a Universidade Nacional de La Plata (UNLP). Lá foi realizada uma reunião com o reitor, Prof. Dr. Raúl Perdomo, e cientistas do Instituto de Pesquisa em Humanidades e Ciências Sociais (IdIHCS), um instituto parceiro do Centro Maria-Sibylla-Merian, financiado pelo Ministério Alemão de Educação e Ciência (BMBF). A discussão abordou o ensino e pesquisa da UNLP, considerando especialmente a parceria do instituto com a inciativa alemã.

Após uma visita ao Instituto de Pesquisa de Fisico-Química Teórica e Aplicada (INIFTA) e ao Centro de Pesquisa Geológica (CIG), a visita a La Plata foi encerrada com uma visita ao Observatório Geodésico Alemão-Argentino (AGGO). No final de julho de 2015, o Observatório, uma das mais ambiciosas iniciativas de cooperação entre os dois países, foi inaugurado pela Agência Federal de Cartografia e Geodesia da Alemanha (BKG) e pelo CONICET. É o único desse tipo na América Latina e faz parte de uma infra-estrutura mundial para observação da Terra e para a atualização de sistemas de referência globais. O diretor do observatório, Dr. Claudio Brunini, e o diretor científico, Dr. Hayo Hase, assim como outros cientistas, impressionaram a delegação com um passeio pelas instalações, onde o tema da pesquisa e os instrumentos foram apresentados.